Espiritualidade Cristã (6): A Disciplina

PergotOgier-Breton[1]

“Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento;” (1Coríntios 14:15b)

O apóstolo Paulo nos ensina a orar “sem cessar” (1Ts. 5:17). Quando lemos suas cartas, vemos que elas iniciam com declarações de como o apóstolo orava pelas igrejas que fundou. Se suas palavras são verdadeiras, como cremos que são, ele nunca deixava de orar por elas. O exemplo da oração é visto na pessoa do próprio Filho de Deus, que buscava lugares isolados para orar (Mt. 14:23; cf. Mt. 6:6). Continue lendo “Espiritualidade Cristã (6): A Disciplina”

Anúncios

Espiritualidade Cristã (5): Hipocrisia

judas-1885[1]

“O Senhor não vê como o homem:
o homem vê a aparência,
mas o Senhor vê o coração”
(1Sm. 16:7b)

Como amar quem não amamos? Há pessoas amáveis, pessoas fáceis de se amar, como há também pessoas refratárias ao amor. O compromisso cristão é de amar a todos. C. S. Lewis ensinou um segredo sobre como lidar nessas situações: disse que não devemos nos preocupar em saber se amamos ou não alguém; devemos agir como se amássemos. O segredo é que quando começamos a agir com amor, passamos a amar. De fato, nós modernos nos preocupamos demais com o amor como sentimento que nos toma, quando na realidade o amor é também um compromisso que decidimos e um comportamento que assumimos. Continue lendo “Espiritualidade Cristã (5): Hipocrisia”

O Evangelho e a Cultura (2): Cristo da Cultura

Dali_Crucifixion_hypercube[1]

“Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;” (Romanos 2:14)

Na postagem anterior (veja aqui), eu expus muito brevemente as características de uma perspectiva do modelo “Cristo contra a Cultura”, um modelo caracterizado por distanciamento em relação ao restante da sociedade. É um modelo impraticável, pois impede a plena realização da missão transcultural da Igreja. Se a Igreja se fecha à cultura, ela inevitavelmente constituirá sua própria cultura, tratando-a como sagrada. Há aí um perigo de perder de vista o Evangelho e sua missão transcultural. Continue lendo “O Evangelho e a Cultura (2): Cristo da Cultura”

Espiritualidade Cristã (4): A pobreza de espírito

Jesus Washing Peter's Feet 1852-6 Ford Madox Brown

“Mas deixarei no meio de ti um povo humilde e pobre;
e eles confiarão no nome do Senhor.”
 (Sofonias 3:12)

As bem-aventuranças estão entre as palavras mais famosas de Jesus, especialmente na versão de São Mateus, introduzindo o Sermão da Montanha. Nessas palavras de esperança se expressa o destino feliz dos virtuosos. A primeira delas nos diz que são bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus (Mt. 5:3). Continue lendo “Espiritualidade Cristã (4): A pobreza de espírito”

Hermenêutica do Amor

Brooklyn_Museum_-_The_Pharisees_Question_Jesus_(Les_pharisiens_questionnent_Jésus)_-_James_Tissot[1]

“E como vós quereis que os homens vos façam,
da mesma maneira lhes fazei vós, também.”
(Lucas 6:31)

Recentemente surgiu uma polêmica em torno de uma declaração, feita pelo pontífice romano, de que Jesus teria “fracassado” na cruz. Quem ouvir ou ler as palavras originais de Francisco perceberá que ele simplesmente repetiu o que todos os cristãos de todas as confissões sempre disseram sobre a crucificação — da perspectiva do triunfo terreno, a cruz é um fracasso. Não há o que discutir. Mas é curioso o número de pessoas que apostaram na malícia, muitas delas católicas romanas. Continue lendo “Hermenêutica do Amor”