Notas sobre o Batismo

display_image

“O Batismo é o sacramento mediante o qual, pelo arrependimento e pela fé, recebemos esta salvação: unimo-nos a Cristo na sua morte; obtemos o perdão dos nossos pecados; somos feitos membros do seu Corpo; e com Ele nos elevamos a uma vida nova no Espírito.” (LOCb)

A coisa mais impressionante que a Sagrada Escritura diz sobre o batismo é que ele “salva”: sōzei baptisma (1Pe. 3:20,21). Diferentemente do que prega o zuinglianismo, tão comum entre evangélicos brasileiros, o batismo jamais é descrito nas Escrituras como “apenas um símbolo”. Na realidade, a Escritura jamais diz ou dá a entender que o batismo é um símbolo, em primeiro lugar. No texto de 1 Pedro, o Dilúvio foi o símbolo; a realidade simbolizada é o batismo. Quando se utiliza a palavra “símbolo” para o batismo, trata-se de linguagem meramente fenomenológica, e não de uma descrição fundada na Revelação. Continue lendo “Notas sobre o Batismo”

Anúncios

Espiritualidade Cristã (7): A Oração

ChristOnMountain[1]

Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. (Rm. 8:26)

O cristianismo carrega uma verdade profundamente libertadora sobre sua espiritualidade, que impede que a oração se torne a medalha de um pequeno número de iluminados: não sabemos como orar (Rm. 8:26). Embora a Escritura ensine muito sobre oração (mais como exemplo que como prescrição) e muitos mestres da espiritualidade cristã de todas as épocas tenham feito importantes contribuições práticas, a grande verdade é que nenhum de nós sabe orar. Continue lendo “Espiritualidade Cristã (7): A Oração”

Oito erros que teólogos cometem

copyist-monks-in-dur-u-1920[1]

  1. Doutrinarismo

O doutrinarismo reduz o cristianismo a um sistema de afirmações (“doutrinas”) corretas. A preocupação principal é saber se as pessoas acreditam nessas afirmações ou não. Os cristãos verdadeiros são os que acreditam nelas. Num caso mais extremo, a própria Escritura é reduzida a um sistema de proposições verdadeiras. É claro que a Escritura e (conseqüentemente) o cristianismo contêm proposições “verdadeiras” (na realidade, contêm juízos verdadeiros), mas nenhum dos dois se limita, de qualquer maneira, à dimensão doutrinal ou proposicional. A tendência do doutrinário, consciente ou não, é atribuir o primeiro lugar à Teologia Sistemática e interpretar a Escritura a partir dela. O doutrinarismo é um tipo de racionalismo da fé, em que tudo se rende ao sistema. Continue lendo “Oito erros que teólogos cometem”