Persuasão é parte da conversão

São Paulo no Areópago

E compadecei-vos de alguns que estão na dúvida; salvai-os, arrebatando-os do fogo; quanto a outros, sede também compassivos em temor, detestando até a roupa contaminada pela carne. Judas 22-23

Que exigência terrível: salvai-os! Cristo é o único salvador de toda a humanidade e, contudo, Judas exige que seus leitores salvem os contradizentes, havendo já exortado à batalha pela fé cristã no princípio de sua carta. Cristo é o único salvador, mas ainda desempenhamos algum papel na salvação de outas pessoas, daqueles que, por sua dúvida ou oposição, estão ainda no fogo. “Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.” (1Co. 9:22b).

Ainda que ela advirta contra as discussões inúteis (2Tm. 2:14; Tt. 3:9), a Sagrada Escritura nos dá um grande precedente nos exemplos normativos dos apóstolos, especialmente São Paulo, cujo trabalho evangelístico incluía o debate. O Espírito Santo convence os que não crêem acerca do pecado, da justiça e do juízo, e leva os homens a confessar o Senhor (Jo. 16:7-8; 1Co. 12:3), mas nada disso nega o papel da persuasão como instrumento de Deus. O mesmo Paulo escreveu que os ministros do Evangelho são “cooperadores de Deus” (1Co. 3:9; 2Co. 6:1). Assim como o Espírito Santo inspirou e falou através dos sagrados escritores, ele se utiliza de nós como causas secundárias para levarmos outras pessoas à fé.

 

Atos 18:4: E todos os sábados discorria na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos.

Atos 18:27b-28: Tendo chegado, auxiliou muito aqueles que, mediante a graça, haviam crido; porque, com grande poder, convencia publicamente os judeus, provando, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus.

Atos 19:8: Durante três meses, Paulo freqüentou a sinagoga, onde falava ousadamente, dissertando e persuadindo com respeito ao reino de Deus.

Atos 21:14: Como, porém, não o persuadimos, conformados, dissemos: Faça-se a vontade do Senhor!

Atos 28:23: Havendo-lhe eles marcado um dia, vieram em grande número ao encontro de Paulo na sua própria residência. Então, desde a manhã até à tarde, lhes fez uma exposição em testemunho do reino de Deus, procurando persuadi-los a respeito de Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas.

2 Coríntios 5:11: E assim, conhecendo o temor do Senhor, persuadimos os homens e somos cabalmente conhecidos por Deus; e espero que também a vossa consciência nos reconheça.

Tito 1:9: Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

Os textos são claros. A maioria trata do relato da evangelização como foi feita pelos apóstolos. Neles está presente também o elemento da disputa, que aparece outros textos.

Atos 9:29: Falava e discutia com os helenistas; mas eles procuravam tirar-lhe a vida.

Atos 17:2: Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras,

Atos 17:17: Por isso, dissertava na sinagoga entre os judeus e os gentios piedosos; também na praça, todos os dias, entre os que se encontravam ali.

A Escritura nos diz que é Deus quem alimenta as aves dos céus (Mateus 6:26). Isso significa que elas não saem à procura do alimento? Ou, em algum momento, alguém já viu a mão de Deus colocar esse alimento diretamente na boca delas?

Assim como o apóstolo afirma persuadir os homens à fé em Cristo (2 Coríntios 5:11) e declara ser esse o dever do presbítero (Tito 1:9), também assevera que toda essa obra é realizada pela graça de Deus (1 Coríntios 3:10; 15:10), que opera em nós o querer e o efetuar (Filipenses 2:13). Assim sendo, esse convencimento é obra total do Espírito Santo, mas também é obra delegada ao evangelizador. Trata-se, portanto, não de uma exclusão, mas de uma cooperação, na qual o Senhor tem sempre o papel iniciador, sustentador e consumador.

G. M. Brasilino

Publicidade

Um comentário em “Persuasão é parte da conversão

  1. “Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo.” – 2 Coríntios 10:5 NVI

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s