Dez ensinamentos da Bíblia negligenciados no mundo evangélico


Resultado de imagem para bible painting

A fidelidade dos evangélicos à Sagrada Escritura às vezes é frustrada por certa reticência em confessar aquilo que ela mesma ensina de modo claro e distinto sobre diferentes assuntos. Essas palavras não atingem a totalidade dos evangélicos, mas atingem em cheio certo tipo de evangelicalismo inculto de origem americana. Penso que a maioria dos evangélicos brasileiros, especialmente os de igrejas mais recentes, é atingida em ao menos um destes dez ensinamentos bíblicos.

Continue lendo “Dez ensinamentos da Bíblia negligenciados no mundo evangélico”

Anúncios

Persuasão é parte da conversão

São Paulo no Areópago

E compadecei-vos de alguns que estão na dúvida; salvai-os, arrebatando-os do fogo; quanto a outros, sede também compassivos em temor, detestando até a roupa contaminada pela carne. Judas 22-23

Que exigência terrível: salvai-os! Cristo é o único salvador de toda a humanidade e, contudo, Judas exige que seus leitores salvem os contradizentes, havendo já exortado à batalha pela fé cristã no princípio de sua carta. Cristo é o único salvador, mas ainda desempenhamos algum papel na salvação de outas pessoas, daqueles que, por sua dúvida ou oposição, estão ainda no fogo. “Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.” (1Co. 9:22b). Continue lendo “Persuasão é parte da conversão”

Sobre “aceitar Jesus”

o-batismo-do-eunuco-rembrandt

“Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele, nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças.” (Colossenses 2:6,7)

Eu confesso que sempre ouço a expressão “aceitar Jesus” com bastante estranhamento. Não que ela seja em si mesmo errada; suspeito que com ela se quer enfatizar a realidade de que Jesus é recebido, não algo que nós adquirimos por nós mesmos. Aceitamos aquilo que é oferecido, a “graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo” (1Pe. 1:13). Diante dessa oferta graciosa, ou aceitamos (Jo. 3:33; 1Tm. 1:15) ou rejeitamos (Lc. 10:16; Jo. 12:48; At. 13:46). Essa expressão tem também a vantagem de lembrar que a fé cristã envolve não apenas a adesão a uma mensagem, mas em primeiro lugar o compromisso com uma pessoa: Jesus. Continue lendo “Sobre “aceitar Jesus””

Batismo infantil, família e conversão

agua-na-mao

“Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:26-28)

Há uns poucos anos atrás, o professor Michael Bird escreveu (leia aqui) em defesa do chamado “batismo dual” — a prática de algumas comunidades cristãs de se permitir pragmaticamente tanto o credobatismo quanto o pedobatismo. A prática do batismo dual ocorre, por exemplo, quando comunidades confessionalmente pedobatistas não exigem disciplinarmente de seus membros que levem seus filhos à fonte. Continue lendo “Batismo infantil, família e conversão”

Jesus pregou o Evangelho — não as “Quatro Leis Espirituais”

Rembrandt

“Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.” (Marcos 1:14,15)

Jesus pregou o Evangelho. Não apenas a Bíblia diz que Jesus e seus discípulos pregaram o Evangelho (Mt. 4:23; 9:35; 11:5; Mc. 1:14,15; 14:9; Lc. 4:43; 7:22; 8:1; 9:6; 20:1), mas os livros que narram a da vida, morte e ressurreição de Jesus são conhecidos como “Evangelhos”. Talvez o título de três deles seja posterior, mas o Evangelho de Marcos começa com a linha: “Princípio do Evangelho de Jesus Cristo” (Mc. 1:1). Continue lendo “Jesus pregou o Evangelho — não as “Quatro Leis Espirituais””

Mitos evangélicos sobre conversão

Semeador - Van Gogh (cortado)

“Os que foram semeados em boa terra são aqueles que ouvem a palavra e a recebem, frutificando a trinta, a sessenta e a cem por um.” (Marcos 4:30)

Um mito persistente na pregação evangélica é o de que é necessário, para a conversão, fazer uma “oração de conversão” ou “oração do pecador”. A Bíblia desconhece a prática de uma oração de conversão ou oração do pecador, que se tornou tão onipresente no evangelicalismo americano e brasileiro. Continue lendo “Mitos evangélicos sobre conversão”