A vela como símbolo

Texto originalmente publicado em 16.11.2020

Assim como os símbolos da Escritura aparecem em quatro níveis (quadriga) na leitura dos Pais, podemos ver um sentido quádruplo em símbolos como a vela.

1) O sentido LITERAL da vela é iluminar o ambiente com uma luz bela, quente, mais bela e viva que a luz elétrica, com uma “memória ancestral” que nós atrai para nossas raízes mais simples e primitivas.

2) O sentido ALEGÓRICO (a fé) é Jesus, a luz do mundo, que em seu sacrifício foi inteiramente consumido, e juntamente com ele todas as pequenas luzes mencionadas nas Escrituras, como João Batista (a comunhão dos santos), que brilham pela luz do Espírito Santo, vindo do céu sobre eles, preparando-lhes para serem mártires do Senhor.

3) O sentido MORAL (o amor) é a nossa alma subindo para Deus em oração. Assim como o incenso (que participa do fogo), a chama da vela se dirige para cima. Os antigos falavam dessa propriedade do fogo. Apontar para cima é naturalmente ser um símbolo da oração. Mas a oração deve ser sacrifício como o de Jesus, perseverante contra o vento frio, contra as trevas que em redor, contra a noite escura da alma. A chama arde continuamente sobre o altar.

4) Por fim, o sentido ANAGÓGICO (a esperança) é a Nova Criação, que, como a Sarça Ardente, será cheia da luz e da glória do Senhor, ao descer aos homens o Trono de fogo, mas, diferente da criação que há hoje, sem ser consumida.

Rev. Gyordano M. Brasilino

Pecado para a morte

Descamps O SuicídioSe alguém vir a seu irmão cometer pecado não para morte, pedirá, e Deus lhe dará vida, aos que não pecam para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que rogue. Toda injustiça é pecado, e há pecado não para morte.
(I João 5:16,17)

O que é o pecado para a morte? Por que não rogar pelo que comete esse pecado? Esse é um dos mistérios da Primeira Epístola de João. Há elementos ao longo da carta que, se lidos com atenção e dentro do contexto da tradição joanina, permitem identificar, com razoável probabilidade, o que seja esse pecado. Parece-me até que o “pecado para a morte” seja uma face do tema central da carta, ainda que a referência à intercessão seja uma digressão. Continue lendo “Pecado para a morte”