A Visão Beatífica e a Nova Criação

A Visão de Deus e a Nova Criação não são duas doutrinas em competição, mas o mesmo horizonte escatológico em duas perspectivas.

A Escritura fala da Visão Beatífica como uma promessa para os salvos, os outros de coração, os que tiverem buscado a santificação. Nós nunca seremos capazes de compreender a natureza divina, que é infinita, inabarcável e invisível, mas “veremos face a face“, como ensina o apóstolo, numa dilatação crescente do nosso espírito — portanto em amor, alegria e iluminação cada vez maiores, sem limite.

A Escritura também fala da nossa esperança como a Nova Criação (Novos Céus e Nova Terra) é a restauração de todas as coisas ao propósito original, nos quais a glória do Senhor cobre a criação assim como as águas cobrem o mar.

Essas duas doutrinas assinalar duas dimensões de nossa própria existência, a espiritual e a corporal, ambas feitas para Deus.

A doutrina bíblica não conhece uma separação ou conflito entre essas duas doutrinas. O Apocalipse ensina (22:3b–5):

“…Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.”

Depois de dizer que os servos de Deus e do Cordeiro “contemplarão a sua face”, o texto nos fala de como a luz divina será a iluminação de todas as coisas — significando que nossa visão delas não se dará mais por uma luz natural e limitada, mas pela Luz Eterna, de modo que, pela primeira vez, seremos capazes de ver as criaturas como elas são e, com isso, contemplar também a nós mesmos.

Se há uma distinção entre essas duas doutrinas, é apenas porque aqueles que nos precedem no Paraíso têm um acesso anterior à Visão Beatífica, eles veem antecipadamente aquilo que será.

Rev. Gyordano M. Brasilino