Ceia do Senhor com açaí e tapioca? De jeito nenhum!

Valentin de Boulogne - A Última Ceia

“Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo; porque todos participamos do único pão.” (1Coríntios 10:17)

No meio evangélico, quando o tema é o trabalho missionário transcultural, é comum que se fale da tal “Ceia” celebrada açaí, tapioca, beiju ou qualquer outra coisa além daquilo que Cristo instituiu: pão e vinho. Na internet há vários textos sobre isso, aprovando ou censurando, e dificilmente se poderia acrescentar algo além do óbvio: Jesus instruiu os apóstolos a fazerem o mesmo que ele fez, isto é, abençoar o pão e abençoar o vinho. Havia mais comida à mesa, mas Jesus foi específico. Continue lendo “Ceia do Senhor com açaí e tapioca? De jeito nenhum!”

Anúncios

A irrelevância dos debates sobre a Ceia do Senhor

Lutero na dieta de Worms

“E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.” (Marcos 14:22)

A experiência de ver duas pessoas brigarem por palavras — pessoas que na realidade pensam do mesmo modo, mas não se dão conta disso — é bastante comum. Só quem está fora do debate percebe a frivolidade da discussão. A incompreensão se dá quando os principais termos da discussão são usados analogamente — quando as duas pessoas usam as mesmas palavras para falarem duas línguas diferentes, mas com alguma semelhança. Continue lendo “A irrelevância dos debates sobre a Ceia do Senhor”

Jesus pregou o Evangelho — não as “Quatro Leis Espirituais”

Rembrandt

“Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.” (Marcos 1:14,15)

Jesus pregou o Evangelho. Não apenas a Bíblia diz que Jesus e seus discípulos pregaram o Evangelho (Mt. 4:23; 9:35; 11:5; Mc. 1:14,15; 14:9; Lc. 4:43; 7:22; 8:1; 9:6; 20:1), mas os livros que narram a da vida, morte e ressurreição de Jesus são conhecidos como “Evangelhos”. Talvez o título de três deles seja posterior, mas o Evangelho de Marcos começa com a linha: “Princípio do Evangelho de Jesus Cristo” (Mc. 1:1). Continue lendo “Jesus pregou o Evangelho — não as “Quatro Leis Espirituais””

Mitos evangélicos sobre conversão

Semeador - Van Gogh (cortado)

“Os que foram semeados em boa terra são aqueles que ouvem a palavra e a recebem, frutificando a trinta, a sessenta e a cem por um.” (Marcos 4:30)

Um mito persistente na pregação evangélica é o de que é necessário, para a conversão, fazer uma “oração de conversão” ou “oração do pecador”. A Bíblia desconhece a prática de uma oração de conversão ou oração do pecador, que se tornou tão onipresente no evangelicalismo americano e brasileiro. Continue lendo “Mitos evangélicos sobre conversão”

O Salmo 51 foi realmente escrito por Davi?

Rei Davi Tocando Harpa (cortado)

“Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o SENHOR. Disse Natã a Davi: Também o SENHOR te perdoou o teu pecado; não morrerás.” (II Samuel 12:13)

O livro bíblico de cânticos e orações é conhecido como Salmos de Davi, mas não é segredo para o leitor atento que grande número deles indica outra autoria no seu título próprio. Muitos Salmos são acompanhados por títulos com alguma informação — o autor, ou a situação em que teria sido escrito, ou algo da melodia e instrumentação. O Novo Testamento acolhe essa tradição hebréia da autoria davídica dos Salmos. Continue lendo “O Salmo 51 foi realmente escrito por Davi?”

A Voz de Cristo nos Evangelhos

0 T

“Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão.” (Marcos 13:31)

As palavras de Jesus são o tema de permanente reflexão da Igreja. Com razão a pregação da Igreja acentua os atos salvíficos de Jesus, especialmente sua Encarnação, Crucificação e Ressurreição, mas tudo isso permaneceria sem sentido, se não o recebesse da voz do próprio Senhor. As palavra do rabi da Galiléia alegram e entristecem, escandalizam e atraem, consolam e ameaçam,  condenam e salvam. Continue lendo “A Voz de Cristo nos Evangelhos”